terça-feira, 8 de dezembro de 2009

De onde vem o idioma basco?



De onde vem o idioma basco?
Eles moram na Europa, mas falam uma língua que nada tem a ver com nenhum outro idioma europeu.
por Thiago Lotufo
Epa, zer modus? Não, isto não é um erro de digitação. É apenas um exemplo de como se diz “Oi, como vai?” em basco, uma das poucas línguas isoladas que ainda existem no mundo. O próprio nome do idioma, em basco, não tem nenhuma familiaridade com qualquer coisa que lembre alguma língua européia: euskera.

Uma língua isolada é aquela que não tem ligação “genética” com nenhuma outra língua. É um idioma sem parentes. No Brasil, por exemplo, pelo menos uma dezena de línguas indígenas não tem relação com nada parecido. Na Europa, o basco é a única isolada de que se tem notícia. É usada no País Basco (que abarca sete províncias da Espanha e da França na região fronteiriça dos dois países) e não se assemelha a nenhuma língua falada no continente. Sua origem desperta grande curiosidade entre os lingüistas e, por isso mesmo, acaba sendo alvo de teorias malucas e estudiosos amadores que volta e meia anunciam uma novíssima descoberta com provas irrefutáveis.

Já disseram que ela surgiu em algum rincão da África ou da Ásia ou numa das tribos perdidas de Israel. Ou que o basco já foi um dia o idioma único de toda a Europa. Hipóteses recentes, inclusive, tentam mostrar que ele tem ligação com línguas dos índios norte-americanos e até mesmo dos esquimós que vivem no Ártico. E isto apenas por conta de palavras que soam parecidas, mas são escritas de maneira diferente e têm outro significado. Como por exemplo, umiak, que em esquimó significa “canoa para a família”, e umeak, que em basco é usada para designar crianças.

TEORIAS SEM PROVA

A teoria mais conservadora, no entanto, diz que o basco era falado em quase toda a Península Ibérica antes de os romanos a invadirem. Mas nem ela tem boa sustentação – simplesmente pelo fato de que não se sabe qual idioma os ibéricos falavam antes da imposição do latim.

O que se conhece é que o basco, usado atualmente por cerca de 600 mil dos 3,5 milhões de habitantes do País Basco, tem algumas palavras emprestadas dos idiomas celtas (o gaélico falado na Irlanda, por exemplo). Mas eles não têm nenhuma relação “genética”, pois a família do idioma celta é de origem indo-européia, assim como as famílias germânica, eslava e latina – português, espanhol e italiano, por exemplo, têm origem na família latina. No início da era cristã, os celtas ocupavam o norte da Espanha. Parte de seu vocabulário pode ter sido incorporado pelos bascos e mantido até hoje.

Revista Superinteressante